sábado, 18 de fevereiro de 2017

Cyborg 009 - Call of Justice

  Olá, pessoal! Hoje vou falar sobre uma animação recém lançada no ocidente pela Netflix: Cyborg 009 - Call of Justice, de 2016. É a mais nova animação baseada no clássico mangá Cyborg 009, publicado originalmente em 1964 pelo mangaká Shotaro Ishinomori, também criador do herói Kamen Rider. 
  Call of Justice é uma produção da Ishinomori Productions (empresa detentora de toda a obra de Shotaro Ishinomori) e da Production I.G, a mesma de Ghost in the Shell e Patlabor, além de animações em diversos jogos. Com um misto de técnicas de anime e computação gráfica, Call of Justice conta uma história mais atual dos Cyborgs 00. Originalmente criados pelo Dr. Isaac Gilmore a mando da maligna organização Black Ghost, os Cyborgs são humanos com capacidades ampliadas pela tecnologia, e originalmente seriam os soldados definitivos da Black Ghost. Mas o Dr. Gilmore consegue escapar da organização, e junto com os Cyborgs, forma uma força de paz, com o objetivo de deter as várias guerras que assolam a humanidade. 
  Na história de Call of Justice, estamos na época atual. Com o fim do temível Inverno Nuclear, o Dr. Gilmore e os Cyborgs decidem permanecer ocultos da humanidade, em uma fazenda no Texas. Os Cyborgs desejam levar uma vida como pessoas normais, mas isso não dura muito tempo. Eles recebem a visita da jornalista Lucy Davenport, que descobre um grande plano de dominação mundial através de seu falecido pai, e segundo o próprio, só o Dr. Gilmore e os Cyborgs poderiam fazer alguma coisa. Ela conta aos heróis que existem seres imortais, conhecidos como Blessed, que controlam a humanidade desde o início dos tempos. Os Blessed possuem um poder além da compreensão, e podem estar nas mais variadas esferas de poder e influência de nossa sociedade. Cabe aos Cyborgs encontrar e deter a ameaça que os Blessed representam, já que as forças das Nações Unidas podem estar comprometidas. 
  No geral, Cyborg 009 - Call of Justice nos agarra pela nostalgia. Quem acompanhou o anime clássico na TV Tupi ou a versão 2002 pela Cartoon Network vai sentir aquele gosto de clássico e de infância. Mesmo com um novo visual, e uma roupagem mais robusta, os Cyborgs mantém seus poderes, suas habilidades e sua essência. A animação tem aquele jeitão de cena CG de videogame, mas agrada de forma geral. É uma boa pedida para quem também quer conhecer um pouco mais da obra do Shotaro Ishinomori, ou até mesmo relembrar dos clássicos. A história é independente das animações anteriores. Não é necessário ter assistido Cyborg 009 antes para entender tudo. A animação possui 12 episódios, e está disponível no catálogo da Netflix.   
  E aí? Estão assistindo Call of Justice? Gostam de Cyborg 009? Por hoje é só. E lembrem-se: Não sejam fanboys, só atravessem no sinal vermelho e que a Força esteja sempre com vocês! 

Os 9 Cyborgs mais poderosos voltam a ativa para salvar o mundo! 





Nenhum comentário:

Postar um comentário