domingo, 9 de abril de 2017

Power Rangers

  Olá, pessoal! Recentemente foi lançado o mais novo filme dos Power Rangers, pelo estúdio Lionsgate e pela Saban Productions. Vou comentar um pouco sobre o filme, sem entregar muito do roteiro.
   Power Rangers é um filme que reconta a história dos cinco adolescentes com atitude que vivem na Alameda dos Anjos. Apesar de muitas referências a série original de 1993, o filme possui características únicas, a começar pelo tom. Os jovens candidatos a Rangers estão longe de serem bons exemplos. Durante boa parte da produção, eles mostram-se problemáticos e rebeldes. O filme em si é mais escuro que a série de TV, lembrando um pouco os filmes do Michael Bay (com direito a piadinha que marca isso). 
  Na trama, Zordon e Rita Repulsa travam uma batalha durante a Era Cenozóica, há cerca de 65 milhões de anos atrás. Em um momento extremo, Zordon ordena o disparo de um meteoro a Terra, que derrota Rita, ao custo de muito do seu poder. Depois de todos esses longos anos, cinco jovens rebeldes resolvem aventurar-se em uma pedreira (ótima referência, por sinal), e encontram as moedas do poder, juntamente com a nave de Zordon, que estava em estado de hibernação. A manifestação da energia mórfica das moedas do poder dá habilidades excepcionais aos jovens, que tentam entender o que realmente está acontecendo. Depois de muita relutância, treinamento (durante muito tempo mesmo), os jovens tornam-se Rangers, com a missão de deter Rita Repulsa e proteger o Cristal Zeo, uma grande fonte de poder que é o motivo principal de toda a disputa entre Rita e Zordon no filme. 
  No geral, o filme é bem interessante. Traz mais profundidade para a mitologia dos Power Rangers, o que era impossível de fazer com episódios de 20 minutos. Os efeitos especiais são bem interessantes. Confesso que fiquei relutante com o visual das armaduras, por ter achado bem "Homem de Ferro", mas em ação elas ficaram muito bem. Ao contrário dos Zords. Difícil entender o que eles são (exceto pelo Tiranossauro e o Pterodáctilo). Destaco a atuação de Bryan Cranston como Zordon (quem é fã da franquia deve ter se empolgado bastante) e da Elizabeth Banks como Rita Repulsa (sabendo dosar tensão e comédia). Power Rangers marca pela sua narrativa, mas faltou um pouco da característica básica que garante o sucesso tanto das séries ocidentais como dos Super Sentai: ação. O filme se atém demais ao treinamento e a superação. Leva muito tempo para os Rangers aparecerem transformados e a luta é bem curta. 
  No geral, Power Rangers é uma boa diversão, tanto para os fãs de longa data como para quem não conhece tanto. A narrativa satisfaz. Bem, por hoje é só. E aí? Assistiram Power Rangers? O que acharam? Podem comentar! E lembrem-se: não sejam fanboys, só atravessem no sinal vermelho e que a Força esteja com vocês! 

PS: Tem cena durante os créditos! 

                                        Os cinco jovens protetores da Alameda dos Anjos! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário