domingo, 24 de dezembro de 2017

Bright

  Olá, pessoal! Hoje vou falar sobre Bright, o mais novo filme original da Netflix, lançado no dia 22 de dezembro. O filme é estrelado por Will Smith e dirigido por David Ayer (Esquadrão Suicida). Bright é a história de uma Los Angeles que conta com elementos fantásticos, como elfos, orcs e magias. É como se o bom e velho Dungeons & Dragons tivesse sido misturado ao nosso cotidiano e ligado a questões sociais bem reais, como racismo e discriminação por classe social.
  Na história de Bright, o policial Ward (Will Smith) volta a ativa depois de se recuperar de um tiro efetuado por um criminoso. Juntamente com Jakoby (Joel Edgerton), o seu parceiro orc, ele tem a missão de garantir a segurança da população de Los Angeles. Durante uma de suas missões, eles deparam-se com uma cena de ritual de sacrifício, e conseguem salvar Tikka (Lucy Fry), uma misteriosa elfa. A partir disso, toda a trama desenvolve-se em uma jornada para impedir que um grande mal assole o mundo, na figura dos Inferni e seu lorde das trevas.
  Bright é um filme que primeiramente chama atenção por seu apelo visual. A Los Angeles movimentada e conturbada que somos habituados a ver nos filmes agora conta com criaturas fantásticas, com suas características, políticas e conflitos. Gangues de orcs, elfos vestindo ternos caros e dirigindo carros esportivos, todos vivendo em uma sociedade exclusiva, onde os territórios devem ser conquistados pela força e influência. 
  A narrativa de Bright é bem dinâmica, e conta com flashbacks individuais que aprofundam aos poucos a história dos protagonistas. Uma mesma cena conduz o começo da história, e ela é recontada por diversas vezes, tendo detalhes acrescidos à medida que o filme prossegue. É interessante a forma que o filme atenta-se ao passado de sua própria história, onde uma guerra no melhor estilo Senhor dos Anéis derrotou o lorde das trevas por volta de 2000 anos. É uma pena que no meio de tantos flashbacks, não temos nenhuma cena contemplando esta parte da trama. No geral, a história de Bright é interessante e divertida, dando abertura para expandir o cenário mostrado. 
  Bright é um filme divertido de se assistir. Conta com bons efeitos visuais, ação rápida e uma história que tenta inovar em alguns aspectos. É uma boa pedida para assistir no dia de natal, ou então em alguma tarde livre. 
  E aí? Assistiram Bright? Curtiram o filme? Comentem aqui no blog. E lembrem-se: não sejam fanboys, só atravessem no sinal vermelho, e que a Força esteja sempre com vocês! E feliz natal para todos! 


Os policiais Ward e Jakoby em uma Los Angeles que mistura fantasia e problemas reais.





  

Nenhum comentário:

Postar um comentário